PepsiCo processada pelo estado de Nova York por poluição plástica

PepsiCo processada pelo estado de Nova York por poluição plástica

A PepsiCo foi processada pelo estado de Nova York por poluição plástica ao longo do rio Buffalo, que supostamente contamina a água e prejudica a vida selvagem.

De acordo com o processo , a PepsiCo é o maior contribuinte identificável para o problema.

O porta-voz da PepsiCo disse à BBC que tem sido “transparente na sua jornada para reduzir o uso de plástico”.

Na semana passada, a Coca-Cola, a Danone e a Nestlé foram acusadas de fazer afirmações enganosas sobre as suas garrafas de plástico.

A PepsiCo é a segunda maior empresa alimentar do mundo e muitas outras grandes empresas têm enfrentado ações judiciais por parte das autoridades locais devido ao seu impacto no ambiente.

As empresas são acusadas de greenwashing quando classificam algo como mais ecológico, verde ou sustentável do que realmente é. Pode enganar os consumidores que esperam ajudar o planeta ao escolher esses produtos.

“Nenhuma empresa é demasiado grande para garantir que os seus produtos não prejudicam o ambiente e a saúde pública”, afirmou a procuradora-geral Letitia James.

Quando o seu escritório realizou uma pesquisa de todos os tipos de resíduos recolhidos em 13 locais ao longo do rio Buffalo no ano passado, descobriu que as embalagens plásticas descartáveis ​​da PepsiCo eram as mais significativas.

“Das 1.916 peças de lixo plástico coletadas com marca identificável, mais de 17% foram produzidas pela PepsiCo”, afirmou.

Outras marcas identificáveis ​​incluem McDonald’s e a fabricante de doces Hershey’s.

De acordo com o estado de Nova York, a PepsiCo fabrica, produz e embala pelo menos 85 marcas diferentes de bebidas e 25 marcas de salgadinhos que vêm predominantemente em recipientes plásticos descartáveis. A Pepsi disse em comunicado que leva “a sério a redução do plástico e a reciclagem eficaz”.

Acrescentou que esta era uma “questão complexa” que exigia o envolvimento de “empresas, municípios, fornecedores de redução de resíduos, líderes comunitários e consumidores”.

O processo alegou que foram detectados microplásticos no abastecimento de água potável da cidade de Buffalo, que “podem causar uma ampla gama de efeitos adversos à saúde, desde disfunção reprodutiva até inflamação do intestino e efeitos neurotóxicos”.

Fonte: BBC

CATEGORIAS