Publicidade

Deficiência de Nutrientes no Solo de Cebola

Deficiência de Nutrientes no Solo de Cebola

Publicidade

Produtores de cebola detectam deficiência de nutrientes no solo e impulsionam uso de fertilizantes minerais de liberação gradual

Santa Catarina, principal produtor de cebola do Brasil, viu um aumento na área cultivada na última safra, mantendo bons níveis de produção. Para a safra que inicia no segundo semestre deste ano, a expectativa é de um volume dentro da média histórica, conforme estimativas da Epagri/Cepea. No entanto, para sustentar essa produtividade, os produtores de cebola têm investido na qualidade do solo, particularmente em solos argilosos com baixo teor de cálcio e alta saturação de alumínio.

Investimento em Qualidade do Solo

Para manter a produtividade, os produtores de cebola têm focado na construção de um perfil de solo saudável, reposicionando micro e macronutrientes essenciais. Tudo começa com uma análise química rigorosa do solo, conforme explica o engenheiro agrônomo Caio Kolling. “A análise química é o ponto de partida para qualquer intervenção no solo, semelhante a um exame de sangue nos humanos”, afirma Kolling.

Análise Química e Aplicação de Fertilizantes

Nas regiões de Petrolândia e Atalanta, a análise do solo identificou deficiências de enxofre, cálcio e boro. O enxofre é vital para a cebola, conferindo seu sabor e aroma característicos. A falta desses nutrientes foi corrigida com a aplicação de 300 a 400 kg/há de fertilizantes, resultando em um aumento médio de 2.100 kg de cebola por hectare.

Uma das soluções utilizadas foi o SulfaBor, um fertilizante com liberação rápida e gradual de boro, protegendo o nutriente contra perdas no solo. Para solos deficientes apenas em cálcio e enxofre, os produtores de cebola aplicaram SulfaCal, que reduz a toxidez por alumínio e permite que as raízes se aprofundem, melhorando a resistência das plantas em períodos secos.

Importância do Potássio

Outro nutriente crucial para os produtores de cebola é o potássio, o segundo mais acumulado pela cebola. Durante o pico de absorção, aproximadamente 2,21 kg de potássio por dia são necessários. Para isso, a tecnologia de SKB Maxi, um fertilizante mineral misto sem cloro e de baixo índice salino, foi utilizada, fornecendo potássio, boro, enxofre e cálcio.

Tecnologias da MaxiSolo

Desenvolvidas em Santa Catarina pela MaxiSolo, essas tecnologias avançadas oferecem soluções eficientes para os desafios nutricionais das lavouras de cebola. Com produtos focados em alta tecnologia, a MaxiSolo garante que as lavouras alcancem novos patamares de rentabilidade, contribuindo significativamente para a produtividade agrícola.

CATEGORIAS
TAGS