Laboratório Teuto se torna primeira indústria farmacêutica de Goiás a utilizar Gás Natural Liquefeito (GNL) como fonte de energia limpa

Laboratório Teuto se torna primeira indústria farmacêutica de Goiás a utilizar Gás Natural Liquefeito (GNL) como fonte de energia limpa

A proteção ao meio ambiente e à sustentabilidade se tornaram demandas essenciais para a sociedade. Os efeitos adversos das mudanças climáticas são sentidos por grande parte da população mundial, o que requer uma mudança de comportamento urgente para reverter este cenário.

Há mais de 7 décadas, sinônimo de qualidade e confiança e reconhecido nacional e internacionalmente pelo seu compromisso com a sustentabilidade, o Laboratório Teuto Brasileiro lançou em 2021 o projeto ‘Teuto Máximo Sustentável’, pautado pela política de Governança Ambiental, Social e Corporativa (ESG), tornando-se a primeira indústria farmacêutica do Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA), em Goiás, a utilizar o Gás Natural Liquefeito (GNL) como fonte de energia limpa.

Segundo a supervisora de meio ambiente da empresa, Aretha Silva Duarte, a iniciativa do ‘Teuto Máximo Sustentável’ começou por meio de processos de reconhecimento dos temas mais importantes para a companhia. “Com a construção da Matriz de Materialidade baseada na estratégia do negócio e na percepção dos stakeholders (públicos estratégicos), assim como avaliamos internamente a maturidade destes processos, identificando as oportunidades”, revela.

“Ao optar pela conversão da caldeira de óleo combustível de baixo ponto de fluidez (BPF) pelo gás natural liquefeito, levamos em consideração os ganhos ambientais e financeiros. O GNL apresenta uma série de vantagens por ser uma ótima fonte de energia de transição que ao ser utilizado como fonte energética diminui o número de toneladas de gases de efeito estufa emitidos, com potencial de aquecimento global”, explica a supervisora.

Aretha complementa que a principal contribuição em termos de concentração de poluentes emitidos, foi a mudança para combustível mais limpo, com baixo teor de enxofre e cinzas, além de ser considerado uma fonte de energia segura, eficiente e econômica. “A contribuição ambiental dos projetos poderá ser avaliada nos relatórios de sustentabilidade a ser divulgado anualmente a partir de 2022”, completa.

Este projeto é pioneiro na cidade de Anápolis. “A influência foi muito positiva, pois já temos outros empresários da cidade solicitando visitas para verificarem o que fizemos e estão inclinados a irem na mesma direção que nós”, revela Aretha.

Além disso, a sustentabilidade sempre está presente na companhia. “Por meio de iniciativas sociais, conformidade ambiental, saúde ocupacional e na governança do Laboratório Teuto, acreditamos que um forte compromisso com a sustentabilidade impulsiona a inovação disruptiva, a coerência entre discursos e ações e, principalmente, o aprimoramento da liderança, colaboração e transparência”, finaliza a profissional.

Fonte: SindusFarma

CATEGORIAS

COMMENTS

Wordpress (0)
Disqus (0 )