Publicidade

Saudi Aramco aumenta investimento para ampliar produção

Saudi Aramco aumenta investimento para ampliar produção

Publicidade

A gigante estatal do petróleo Saudi Aramco planeja aumentar drasticamente o valor que investe na produção de energia, depois de reportar uma duplicação dos lucros em 2021.

A empresa pretende aumentar significativamente a produção nos próximos cinco anos.

Os preços da energia dispararam nos últimos meses, uma vez que a demanda superou a oferta de petróleo e gás.

A guerra na Ucrânia e a relutância em depender da Rússia para obter energia aumentaram a pressão para encontrar fontes adicionais de energia.

O movimento da Saudi Aramco provavelmente será bem recebido por líderes políticos, preocupados com o impacto dos altos preços da energia, embora o investimento tenha como objetivo aumentar a produção ao longo dos próximos cinco a oito anos.

Na semana passada, o primeiro-ministro Boris Johnson visitou a Arábia Saudita para tentar persuadir o país a liberar mais petróleo nos mercados mundiais no curto prazo.

A Arábia Saudita é o maior produtor do cartel petrolífero Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e, ao aumentar a produção, poderia ajudar a reduzir os preços da energia, que está em sua maior alta em 14 anos.

No entanto, o país foi condenado por uma série de violações dos direitos humanos: seu envolvimento no conflito no vizinho Iêmen, o assassinato em 2018 do jornalista Jamal Khashoggi, por prender dissidentes e pelo uso generalizado da pena capital.

O Partido Trabalhista acusou o governo de passar de um ditador a outro para enfrentar a crise energética.

O chanceler, Rishi Sunak, afirmou que o primeiro-ministro estava “absolutamente certo” em se envolver com a Arábia Saudita sobre o aumento do fornecimento de energia.

“Seria errado se não estivéssemos explorando todos os caminhos possíveis para trazer energia mais barata e mais segura para as pessoas neste país”, declarou Rishi Sunak à BBC.

A chanceler sombra, Rachel Reeves, disse que o Reino Unido deveria se concentrar em aumentar a produção doméstica de energia por meio de nova geração eólica nuclear e offshore, para reduzir a dependência de países como Rússia e Arábia Saudita.

“Chegar ao zero líquido é a missão da nossa geração”, disse ela.

“Temos que fazer mais para reduzir nossa dependência de combustíveis fósseis, e é por isso que o investimento em eletricidade local é tão importante.”

Os mercados de energia têm sido voláteis durante a pandemia, pois mudanças repentinas na atividade econômica influenciaram tanto a oferta quanto a demanda.

Em 2020 os lucros da Saudi Aramco caíram acentuadamente à medida que a economia mundial desacelerou.

Mas a reabertura em muitos países levou a um forte aumento nos preços da energia em 2021. Isso impulsionou as receitas de todas as grandes empresas geradoras de energia.

A Saudi Aramco disse que planeja aumentar suas despesas de capital para US$ 45 bilhões a US$ 50 bilhões este ano, com novos aumentos até meados da década. No ano passado, as despesas de capital foram de US$ 31,9 bilhões.

A empresa planeja um aumento da sua “capacidade máxima sustentável” de petróleo bruto para 13 milhões de barris por dia até 2027 e também visa aumentar a produção de gás em mais de 50% até 2030. A Arábia Saudita produziu pouco mais de 10 milhões de barris de petróleo por dia em fevereiro.

A petroleira mais do que dobrou seu lucro líquido para US$ 110 bilhões em 2021, ante US$ 49 bilhões em 2020.

O preço do barril de petróleo bruto Brent aumentou cerca de 50% em 2021 e, com os preços da energia permanecendo altos, os analistas esperam que o lucro aumente ainda mais em 2022.

A Saudi Aramco informou que planeja desenvolver uma capacidade significativa de exportação de hidrogênio e se tornar líder global em tecnologia de captura e armazenamento de carbono.

Fonte: BBC

CATEGORIAS