Publicidade

Air Liquide registra crescimento de 13% nas receitas em 2021

Air Liquide registra crescimento de 13% nas receitas em 2021

Publicidade

O resultado líquido por ação, de 5,45 euros, subiu +5,5% face a 2020, em linha com o aumento do resultado líquido.

A Air Liquide registrou receita do grupo para 2021 em 23.335 milhões de euros, um aumento de +8,2% em uma base comparável. Este forte crescimento de vendas em 2021 segue o ano de 2020 que viu o Grupo demonstrar resiliência em um ambiente sanitário especialmente difícil. As vendas em 2021 aumentaram +6% em comparação com 2019. Notadamente impulsionado por projetos relacionados à transição energética, a receita consolidada de Engenharia e Construção aumentou +55,4%. A Global Markets & Technologies apresentou um crescimento de +17,8%, impulsionado pelo dinamismo do mercado de biogás. Os preços da energia tiveram um aumento excepcionalmente forte durante o 2º semestre do ano, especialmente na Europa, resultando em um impacto energético significativo nas vendas, em +8,4% em 2021 e até +16,5% no 4º trimestre. Os impactos cambiais e de escopo significativos foram negativos, em -1,6% e -1,1%, respectivamente. Ao todo, o Grupo registrou um crescimento de +13,9% na receita publicada.

O lucro líquido (participação do Grupo) foi de 2.572 milhões de euros em 2021, um aumento de +5,6% conforme publicado e um aumento significativo de +8,9% excluindo o impacto cambial. O lucro líquido recorrente (participação do Grupo) também ascendeu a 2.572 milhões de euros. Isso representou um aumento acentuado de +9,9% e +13,3% excluindo o impacto da moeda, em comparação com o lucro líquido recorrente (participação do Grupo) para 2020.

O resultado líquido por ação, de 5,45 euros, aumentou +5,5% face a 2020, em linha com o aumento do resultado líquido (participação do Grupo).

Sobre o ano de 2021, Benoît Potier, Presidente e CEO da Air Liquide, afirmou: “Em 2021, o Grupo obteve um excelente desempenho, apesar da pandemia em curso e das fortes pressões inflacionistas relacionadas principalmente com o forte aumento dos preços da energia no segundo semestre.

As equipes da Air Liquide têm se intensificado em todas as áreas, seja na resposta à crise da covid-19, à significativa aceleração da inflação ou ao desafio da transição energética, demonstrando mais uma vez a sua forte reatividade e adaptabilidade. Agimos aqui e agora, ao mesmo tempo que preparamos o futuro. O nosso dinamismo de investimento tem sido sustentado com a assinatura de inúmeros acordos nomeadamente relacionados com a transição energética.

O Grupo entregou mais um ano de crescimento lucrativo: as vendas atingiram 23,3 bilhões de euros, +8,2% em bases comparáveis, a margem operacional aumentou 70 pontos base, excluindo o impacto da energia e o lucro líquido recorrente aumentou 13,3% a taxas de câmbio constantes.

Todas as atividades melhoraram acentuadamente: Gás e Serviços, que representa 95% da receita do Grupo, Engenharia e Construção, bem como Mercados e Tecnologias Globais. Todas as linhas de negócios e regiões de Gás e Serviços cresceram para níveis elevados, com a Ásia crescendo +6%, a Europa +7% e as Américas +8%.

O Grupo melhorou ainda mais sua margem operacional graças a uma política de preços adaptada à inflação, eficiências significativas de 430 milhões de euros e uma gestão dinâmica de seu portfólio de negócios. Perante uma subida acentuada e sustentada dos preços da energia, o Grupo demonstrou tanto a solidez do seu modelo de negócio – que lhe permitiu repercutir automaticamente estas variações aos seus clientes das grandes indústrias – como a sua capacidade de adaptar rapidamente os seus preços aos clientes comerciais industriais.

O balanço da Air Liquide foi ainda mais reforçado. O ROCE recorrente atingiu 9,3%, aproximando-se da meta de 2023-2024 de mais de 10%. O fluxo de caixa das operações permaneceu alto em 24,5% das vendas, excluindo o impacto de energia, e ajudou a reduzir a dívida, além de financiar nossos investimentos e dividendos. As decisões de investimento atingiram 3,6 bilhões de euros no ano, e as oportunidades permaneceram altas em 3,3 bilhões de euros, dos quais mais de 40% estão relacionados à transição energética. O dividendo, que será submetido à votação dos acionistas em maio, é proposto em 2,90 euros por ação, o que representa um aumento de +5,5% que reflete nossa confiança no futuro. Além disso, uma atribuição de ações gratuitas ocorrerá em junho de 2022.

Com um modelo de negócio que combina desempenho financeiro e extrafinanceiro, a Air Liquide está particularmente bem posicionada nos mercados do futuro. Em resposta, notadamente aos grandes desafios das mudanças climáticas e da transição energética, o Grupo oferece uma ampla gama de soluções baseadas em hidrogênio e tecnologias para descarbonizar a indústria. Contribuir para um futuro sustentável está no centro da nossa atividade e da nossa estratégia.

Em 2022, supondo que não haja interrupção econômica significativa, a Air Liquide está confiante em sua capacidade de aumentar ainda mais sua margem operacional e fornecer um crescimento recorrente do lucro líquido a taxas de câmbio constantes”.

 

Fonte: Indian Chemical News

CATEGORIAS
TAGS

COMMENTS

Wordpress (0)
Disqus ( )